13 de abr de 2012

Algumas Iniciativas Mundiais.


A Organização Mundial de Saúde prevê que a mudança climática que vem acontecendo nas últimas décadas, em decorrência do aquecimento global, acarretará a uma série de impactos significativos à saúde da população mundial. Um aumento no número de doenças respitatórias; a disseminação de doenças como cólera, malária, dengue entre outras; o comprometimento da produção agrícola e segurança alimentar, levando a um aumento nos quadros de desnutrição;  um aumentode eventos climáticos como inundações e secas.  
Algumas iniciativas mundiais de visionários que buscam amenizar o impacto das instituições de saúde ao meio ambiente:
- Green Guide for Health Care (Guia Verde para a Saúde) - É um guia de melhores práticas para a construção de edifícios saudáveis e sustentáveis para o setor saúde.
- Health Care without Harm (Saúde sem Dano) - implementa alternativas ecologicamente corretas e saudáveis para o setor saúde.
- Mercury Free Health Care (Saúde sem Mercúrio) - lidera uma iniciativa para conseguir a substituição adequada do mercúrio em dispositivos médicos com alternativas economicamente viáveis.
- Healthier Hospitals Initiative (Iniciativa Hospitais mais Saudáveis) - criou a agenda Hospitais mais Saudáveis para traçar um caminho para um sistema de saúde mais saudável, sustentável e efetivo.


KERN, Allan  Egon; DE LIMA, Arlete Patricia Fuente e MANFREDINI, Cassia Barbosa de Souza: http://www.gthospitalar.com.br/, 24 fevereiro 2011.

Estrátegias para Reduzir o Impacto Ambiental.


Um gestor hospitalar consciente pode empregar algumas estratégias básicas para amenizar os danos que sua instituição gera ao meio ambiente, deixando de prejudicar o clima, reduzindo o consumo de recursos naturais e gerando benefícios econômicos, sociais e ambientais. Essas estratégias podem ser implementadas por mudanças na política da instituição e práticas de consumo.

1 - Eficiência energética - reduzir o consumo de energia e os custos por meio de medidas de eficiência e conservação.
2 - Resíduos - reduzir, reutilizar e reciclar, fazer a compostagem dos resíduos orgânicos, empregar alternativas à incineração dos resíduos que requerem tratamento especial, diminuir o consumo de papel.
3 -  Alimentos - fornecer alimentos produzidos de maneira sustentável para funcionários e pacientes.
4 - Transporte - usar combustíveis alternativos para a frota de veículos da instituição, disponibilizar o máximo de equipamentos necessários para evitar a locomoção de pessoal e pacientes para outra unidade, estimular as pessoas a irem caminhando ou de bicicleta à institução.
5 - Conservar a água - coletar e armazenar água da chuva que pode ser usada para limpeza da instituição. Empregar medidas de economia, evitando o desperdício.
6 - Projetos  de edíficios ecológicos - construir hospitais de acordo com as condições climáticas que a região ofertar, planejados para consumir menos energia e recursos.
7 - Geração de energia alternativa -  produzir sua própria energia e consumir energia limpa e de fontes renováveis. 


KERN, Allan  Egon; DE LIMA, Arlete Patricia Fuente e MANFREDINI, Cassia Barbosa de Souza: http://www.gthospitalar.com.br/, 24 fevereiro 2011.

Desenvolvimento Sustentável.


As instituições de saúde desenvolvem atividades que geram grande impacto ambiental. Uma vez que essas instituções funcionam 24 horas por dias e todos os dias do ano, utilizando intensivamente recursos naturais como energia e agúa e materiais tóxicos, produzindo grande quantidade de resíduos tóxicos e sólidos.
Por isso o desenvolvimento sustentável é um assunto de suma importância para o setor da saúde, podendo gerar uma série de benefícios ambientais, econômicos e sociais, promovendo a saúde da população.
No nosso dia a dia, em muitas atividades que realizamos utilizamos produtos extraídos do meio ambiente, recursos esses renováveis ou não, essa renovação é lenta comparada a velocidade do consumo danossa sociedade, a continuidade desses recursos depende de diminuirmos seu disperdício.
Outro grande impacto que nossas atividades diárias geram é a emissão de gases de efeito estufa.
Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), no Brasil, os serviços de saúde, são responsáveis por 10,6% do consumo nacional total de energia comercial.
Pela sua importância e magnitude o setor saúde deve liderar ações na defesa de um futuro saudável e sustentável, mudando toda uma economia, devido o seu poder de compra e seu interesse na prevenção de doenças.

KERN, Allan  Egon; DE LIMA, Arlete Patricia Fuente e MANFREDINI, Cassia Barbosa de Souza: http://www.gthospitalar.com.br/, 24 fevereiro 2011.

Uma Gestão Eficiente.

Um dos principais desafios de um gestor hospitalar é administrar sua instituição de forma eficiente e sustentável.
Cada instituiçãode saúde seja ela pública ou privada tem suas especificidades, para mantê-las sustentéveis, não há um padrão, cada instituição deve possuir critérios para avaliar como a unidade se mantém, e só assim estabelecer suas metas e estratégicas para uma gestão eficiente.
A parte principal da cadeia sustentável  de uma unidade hospitalar é a hotelaria, pois é no leito o maior consumo de energia, água e geração de resíduos.


MEDEIROS, Eduardo Dourado: http://www.gestsaude.blogspot.com.br/. 31 maio 2010.